quarta-feira, 16 de outubro de 2013

inocência é pensar que um dia nossa rima irá solucionar os problemas patéticos da humanidade.
amor é aguentar 24 anos por dia de tormento familiar para poder encostar meus lábios nos teus, e não conseguir.
gratidão é sentir tua pele com uma textura azul marinho tocando a minha pele qualquer tom que combine com azul marinho.
e busco a paz de ter gratidão por esse amor inocente.

domingo, 29 de setembro de 2013

a saudade
causa soluço
em mim
o seu sumiço
causa azia
em mim
faço um
esforço
para lembrar
dá desgosto
só de pensar
nas palavras
que ouvi
depois do gozo
do cigarro
e do nosso
 fim

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Sente.

minha mente apela
fotograficamente
para os momentos
em que a gente
passou naquele
dia quente,
na semana da eleição
para presidente,
em outubro,
do ano seguinte
ao nosso encontro.
primeiramente,
me apaixonei,
sabe quando a gente sente?
o tempo passa
e de repente
estamos lembrando,
inconscientemente,
do antigamente,
nos tempos que
o a gente,
não existia e
consequentemente,
fim.

Ao lado das antigas cenas.

Ah... as gotas vermelhas que caem do choro do nosso toca discos...
a sonoridade daquele sofá velho que foi palco que várias cenas.
O tom das paredes claras atingem meus olhos e perco a visão por segundos.
A porta da cozinha tem as nossas marcas.
A pia da cozinha, ainda tenta nos banhar.
O canto da cozinha agora é breu.
É breu.
O vento.
O vento que sinto ao colocar meu rosto para fora, após uma tragada, agora bate em meu rosto com força.
Mantenho todas as janelas fechadas, para não morrer sofrer com dor.
E acabo me sufocando, deitada no sofá velho.

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

O Sol se foi, baby.

Nas sombras das asas dos pássaros que ficam no parque, às três da tarde, eu vejo possíveis traços nossos deitados naquela minha cama desarrumada cheirando a alecrim.
Teu cabelo, como sempre, caindo nos teus olhos e eu os tirando em busca de algo, normalmente o princípio de um gozo.
Consigo descrever as notas da tua voz, que ainda ecoam no porão da minha cabeça.
Libélulas do tronco azul me trazem boatos sobre o chão que você pisa.
Até minhas letras, se postas em outras posições, traçam um caminho até você.
Ouvir Jazz sem ver seu pé batendo no chão, anula todas as emoções possíveis.
Meus olhos vermelhos, só pensam em ti. É, meus olhos pensam. Tenho algumas coisas fora do lugar. Inclusive, um músculo que pulsa sem controle.
Talvez eu tome um chá de boldo vendo o Sol ir.
O Sol se foi, baby.
Ontem foi a ultima vez que o Sol se despediu de nós.

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

baby, não me leve a mal

encontrei uma foto nossa no fundo da gaveta, ao virar me deparo com um conjunto de suas letras formando a frase: "baby, seu perfume doce sempre me faz sorrir".
percebi que ainda usava o mesmo perfume, mas agora por comodismo, não por troca do seu sorriso.
revirando a mesma gaveta, achei o nosso álbum preferido do lobão, íamos da faculdade a praia, sempre ouvindo as mesmas músicas, de mãos dadas sob a marcha.
talvez eu ainda saiba todas as letras decoradas.
como todas as recordações que tenho de você, são graças a momentos não planejados, por um momento pensei em planejar mais minha vida.
porém, lembrar de você é necessário, para lembrar do que não quero.

terça-feira, 24 de setembro de 2013

BUSCO NOVAS VISÕES DE MUNDO

aceito outras
não quero saber de paraíso astral
se quem é de escorpião na cama é fenomenal
se os aquarianos são porra loucas
se os geminianos não calam a boca
se você for canceriana, baby não chore
não entendo nada de constelações,
mas de uma coisa tenho certeza:
tu é minha estrela alfa!

a menina

a menina é sentimental
até os dentes, rapaz.
acho que ela mordeu
meu coração com tudo.
se eu te contar
o que senti
só em olhar,
faltaria espaço.
a moça passou por mim
e em um respirar,
me fez delirar,
no meio da rua.
é isso, rapaz, é isso
que me tira o sono.
moça distante, dona
da voz que me serve
como calmante.
é dela, rapaz..
é dela que eu tô falando.

apresentando augusto


augusto gostava de samba,
era bom com as palavras,
mas sua testa ardia sempre
que alguém tentava se aproximar.
augusto era amante da lua,
fazia como vinícius
e sempre comparava mulheres a ela,
principalmente a parte que, talvez,
ambas, para ele, seriam impossíveis
a concepção do toque.
augusto era um poeta cego
não percebia os olhares ao seu redor
que comiam seu físico,
talvez porque para ele não bastasse.
augusto era um devorador de almas,
tinha a sutileza ao seu lado
achava isso de muito bom agrado,
não gostava de dormenças testais.
borboletas azuladas
enfeitam o céu
vovó dizia que elas
eram nossos sonhos
que voam por aí
em busca do tempo certo
certo dia
uma pousou em meu nariz
e vi a poesia
pela primeira  vez

domingo, 22 de setembro de 2013

"Quando tu vai embora, leva um punhado de sorrisos meus... E quando volta arremessa todos eles em meu rosto, eu gosto."

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

quarta-feira, 31 de julho de 2013

domingo, 23 de junho de 2013

suicídio

a melancolia ecoa nos meus ouvidos
e me tortura mais do que te dar
o ultimo beijo antes da sua partida.
os ratos do quintal abandonado
da minha memória roem as nossas
manhãs de terça feira, toda noite
antes da minha mente falecer,
antes dos meus músculos esqueceram
pra que estão ali.
meus dedos cheios de calos causados
pela busca contínua do meu eu, agora
te procuram.
nossas energias se conectam perfeitamente,
nossas poeiras atômicas foram varridas
do universo juntas, do pó atômico
ao amor platônico.
porque no fim, meu coração pulsa só.
você não consegue me amar sem sofrer.
entendo, não é covardia. você está
se prevenindo da única coisa que
ainda pode te salvar do caos.

suicídio.

bebi outra vez,
hora de dormir.

terça-feira, 14 de maio de 2013

azul da cor do mar, da cor do amor, que é quase o mar de tão azul que é


Oh, this is the start of something good
Don't you agree?
moça, eu estava perdida por aí.
não esperava me encontrar em ti.
I haven't felt like this in so many moons
You know what I mean?
pedia pra minha estrela alfa me mandar alguém,
sei que não acredita muito nessa história de signos,
mas saiba que nossas constelações quase se completam.
o quase fica de fora quando me refiro a nós.
Am I too obvious to preach it?
You're so hypnotic on my heart.
o céu se fez mais azul desde que falastes comigo.
particulas do teu cheiro se perdem pelo vento.
sempre gostei de ventanias. permita-me
entrar no furacão que balança tudo aí dentro.
Oh, look what I'm holding here in my fire
This is for you.
no dia do nosso casamento o céu estará azul como nós.
o sol estará iluminando a nossa melhor poesia:
nós, uma poesia azul iluminada e testemunhada
pelo sol, pelo céu.
Oh, this is the start of something good
Don't you agree?

segunda-feira, 6 de maio de 2013

ressaca amorosa pra te esquecer, vencedor

vou tomar um porre
de você, pra ver se
fico com ressaca
e te esqueço.

mereço me livrar
do peso desse amor
mereço uma canja
milagrosa
que cure até meu
medo da solidão

carrego na minha
memória todos os
teu sorrisos,
os mais forçados
e os mais sinceros

no meu filme, disputará
consigo mesmo o papel
de vilão e mocinho.
e aí? quem vencerá?
dizem que o bem
 sempre vence.
ora, faça-me o favor
de ser o vencedor.

ou faça que nem eu
tome um porre
e me esqueça!

quarta-feira, 1 de maio de 2013


Fui tentar te descrever em forma de poesia e acabei pintando saudade.
Fui colocar uma moldura na pintura e a emoldurei com dor.
Agora ela tá aí, exposta na minha vida, aberta para sua visita.
Roube esse quadro.

terça-feira, 30 de abril de 2013

hei de te (me) encontrar

estou perdida em um local onde só vejo pessoas com o ego no céu e suas palavras que liberam hipocrisia por todo lado, sei que não vou te encontrar lá, corro na direção da praia, talvez esteja lá. deus me disse uma vez, quando estava a navegar atrás de ti para eu respeitar o tempo, mas meu coração só palpita rápido, ele diz meu tempo, fico a imaginar aquela sensação de bem estar que sentirei ao te abraçar. partículas coloridas de paixão irão bailar no ar. e assim me encontrarei.

é esse que tem pouca nota


dizem por aí que tô espalhando poesia pelos cantos,
que quando eu chego o ambiente fica poetizado, ah moça
isso é porque ainda não te viram passar com esse gingado
de ciranda, nunca viram o movimento desse teu cabelo marrom
no ar, nunca viram teu sorriso iluminando misteriosamente a vida.
a natureza é uma coisa linda, sabe? mas, nada comparado a ti
é mais belo.   você tem mistério de cinema
                    gargalhada de criança
                    o corpo que se encaixa no meu
atravessaria qualquer oceano pra olhar teus olhos de perto,
pra sentir teus dedos no meu cabelo quando eu tiver quase dormindo,
pra te ouvir cantar, nem que seja aquele axé que eu odeio.
                   ultimamente tô que nem a mallu:
                   com vontade de ficar com você
                   grudar em você
                   de me bordar em você
                   tô querendo virar tua pele
                   fazer uma capa
                   tirar tua roupa
         e seguir contigo num sambinha bom.

segunda-feira, 22 de abril de 2013

planos para o futuro: sambar junto a ti


vem, vem devagar no ritmo do nosso samba favorito
vem sambando e sorrindo, moço bonito
balançando esses teus cabelos
e deixando teu cheiro por onde passa
fazendo graça e deixando todas as moças de queixo caído
me puxe pela cintura e me faça querer sambar junto a ti
já coloquei minha saia, já soltei meu cabelo, já ensaiei
de frente ao espelho, agora vem me fazendo esquecer todas
as coisas ruins dessa vida e colorindo meu dia a dia com
teu samba, teu axé, tua capoeira..
só você pode transformar meus problemas em samba
e quero resolve-los todos à sua maneira
não entrego-me a ti só no samba de roda, mas
no samba da vida.

quarta-feira, 17 de abril de 2013

jogo sem lógica


não sei mais andar sem pensar.
monto monólogos em minha cabeça com palavras tortas.
quando era mais nova, via pessoas falando sozinhas nas ruas,
achava que era loucura, agora eu quem ando pra cima e pra baixo
falando sozinha, quase gritando, é bem mais grave do que loucura.
to perdendo a habilidade de ser invisível, as pessoas me olham
e sinto que elas tentam me desvendar, isso me perturba, me sufoca,
por que? por quê? porque.
vejo poesia em tudo desde que vi teus olhos perto dos meus,
nem os tijolos daquele prédio em construção perto da minha universidade
são mais os mesmos.
a fumaça que solto depois de fumar, agora formam no ar partes do teu corpo,
teu sorriso, teu nariz, tuas mãos, teus ombros, teus olhos...
se me ver fumando, talvez esteja te procurando, talvez esteja tentando matar a saudade,
talvez seja só uma desculpa pra me matar, pois você não está por perto.
corrosão do coração (e do pulmão).
não queria voltar a andar sem pensar, me sinto melhor assim.
mas, parar de fumar e te ter por perto, seria uma boa.

sábado, 13 de abril de 2013

"é o fim do mundo todo dia da semana"


realmente o mundo
acaba todo dia
de um jeito diferente
o meu hoje acabou
do seu jeito
com o seu olhar
e com o seu cheiro
pude sentir, ver,
ouvir
não quis evitar.
talvez precisasse mesmo
de um fim do mundo.
amanhã outro começa
amanhã o mesmo termina
espero que com seu cheiro
novamente.

quinta-feira, 11 de abril de 2013

calma, menino


possuo um auto conhecimento
flagelado.
saio da cama da paloma e
não sei pra onde ir,
porque na verdade
não queria sair de lá,
nunca quis.
chá era nossa válvula de escape
e seus olhos também, era
difícil distinguir o que
brilhava mais, se eram seus olhos
ou seus cabelos.
nicolelis me alertou:
se machuca-la, vou atrás de você.
jurou-me nunca te abandonar.
segundo ele, te via em todos os lugares
terminal da lagoa, na saída do metrô
na paulista, nos espaços que sobram
entre os tijolos daquela construção da esquina.
antes de espera-lo terminar, o interrompi:
calma, rapaz, calma que a alma daquela ruiva
de alguma forma, pertence a ti.

amante


uma nuvem me presenteia
com as gotas que ela solta
estou tão carregada quanto ela
as gotas, certas vezes
trazem teu cheiro
por isso gosto de
tomar banho de chuva
me misturo com as gotas
e assim sinto você
ah.. quem me dera se
fosse verdade, mas
na verdade
nada passa de uma ilusão.
espero sem querer,
espero porque quero te ter.
partes, se partem e
levam consigo toda
e qualquer paciência
que - ainda - tenho.
uma doce brisa se enrrola
nos meus cabelos
e olha que sorte.
você está nela.

quarta-feira, 10 de abril de 2013

tudo culpa dela (intensidade)


mergulhar no mar castanho
dos teus olhos
e parar de nadar
jogar-me no vão escuro
das tuas palavras
e parar de procurar luz
me perder nas covas
do teu corpo
e não procurar uma saída


não busco dor,
mas não a evito
é tipo um mal
necessário.


não evito me permitir
por isso sofro
por isso sou intensa
desde pequena
sempre chovara demais
ria demais, brincava demais,
estragava as brincadeiras demais.
sempre demais, demais.
por isso sofro.


não busco você,
mas não te evito
é tipo um mal
necessário.


não sigo uma direção só
saí da aula de japonês,
estou na de francês
e com o material de
catalão dentro da bolsa.


não quero me policiar,
mas não evito
é tipo um mal
necessário.


vivo procurando um motivo
para deixar essa minha fuga de lado
vivo procurando abrigo
cansei de ser nômade nos pensamentos das pessoas
quero parar em um,
de preferência no seu.


não precisa ser agora
mas não evite
é tipo um mal
necessário.

um dia da caça, outro da caçadora


sonhos vem e vão
nunca param
podem ir juntos com
palavras
podem ir juntos com
bombas.
explosões de sonhos
pedidos
c
  a
    e
      m

somem e viram
p
  o
    e
      i
        r
          a

donas de casa limpam
todos os dias sonhos:
ser astronauta,
escrever um livro,
amar infinitamente..
tudo vai para debaixo
do tapete.
tudo para o lixo.
lixo do arrependimento.



ass: caçadora de sonhos
perdidos do lixão
da vida.

carta, leia até o final


ME OLHA!!!

tento vir todos os dias,
tento sentir teu cheiro
pelos cantos da minha
vida. (SEM SENTIDO)

VENHA!!!

venha em um vento
que bate no meu rosto
na praia, na sala,
nas orgias, nos bares.

ME PERDOE!!!

me perdoe pelos cantos
onde vou buscar seu cheiro.

LEMBRE-SE!!!

não vou desistir.
nem da busca pelo
seu cheiro, nem
de você.








ESQUEÇA (OU TENTE)

tudo que escrevi,
tudo que pensou.
agora vou fumar.

segunda-feira, 8 de abril de 2013

todo amor que houver nessa vida, cazuza, eu e você


todo amor que houver nessa vida
e algum remédio que me dê alegria
porém, tendo em vista que
serei teu pão, tua comida
não precisarei de nada mais
para me dá alegria
ser algo bom para você
já é mais do que suficiente
para me arrancar mil sorrisos
durante o dia
e ser artista no nosso convívio
pelo inferno e céu de todo dia
te olhar passar e sorrir
independente de como esteja meu dia
eu tenho a sorte de está tendo
um amor tranquilo, com sabor
de fruta mordida, nós na batida,
no embalo da rede, matando a sede
na saliva, enchendo o peito com
amor, com todo amor que houver nessa vida
e algum veneno antimonotonia.
nós somos nosso veneno antimonotonia
antiraiva, antistress, antinãoamor.
e a poesia que a gente não vive..
ah, essa não existe
transformo o tédio em melodia
graças a ti, graças a busca incessante
pela tua fonte escondida
no dia que eu acha-la, te alcanço
em cheio, o mel e a ferida
e o corpo inteiro como um furacão
boca, nuca, mão e tua mente não
ser teu pão, ser tua comida
todo amor que houve nessa vida

domingo, 7 de abril de 2013

pura, limpa, nossa


eu quero é felicidade,
mas tem que ser uma
felicidade pura, limpa
aquela felicidade que
você vê nos olhos de
uma criança ao ver a mãe
aquela felicidade do
casal apaixonado caminhando
na praia no final da tarde
de mãos dadas, quero a
felicidade de um estudante
aprovado no vestibular
a de uma mãe ao ver seu
filho pela primeira vez
quero a felicidade de um fã
ao ver seu ídolo pessoalmente
pela primeira vez, quero
aquela felicidade retratada
nos filmes de romance
que sempre tem um final feliz.
pode ser uma felicidade clichê
às vezes, são as melhores,
não ligo
eu quero é felicidade,
mas tem que ser uma
felicidade nossa.

sábado, 6 de abril de 2013

Você é inspiração pra dez vidas ou mais.

é morena...


me perco nos teus beijos
me encontro nos teus abraços
vejo sombras de um futuro próximo
se formando em nossa direção
incertezas e vontades se misturam
com paixão e carinho deixando
tudo assim, do jeito que está
vamos indo, como diz aquele
velho ditado popular
devagar e sempre.
que seja assim, Sol
devagar e sempre.

quinta-feira, 4 de abril de 2013

com palavras de maria

fico pensando no que fazer
com toda essa sua ausência em meu ser
quero sempre mais
quero sempre você
a felicidade que sinto ao te ver
se compara a de uma mulher esperando 
sua mulher na beira do cais
que olha no meio da espera
para o céu e ele me demonstra
com muita transparência
que o que ela mais precisa
é de um pouco mais de paciência 

segunda-feira, 1 de abril de 2013

maria


vou pedir pra lua te abraçar
para cada estrela te beijar
para cada cometa dançar ao teu redor
nunca deixando você entristecer.
se - ainda - não posso fazer
todas essas coisas
vou pedir aos meus astros que façam
e no dia que estivermos juntas,
juntas olharemos para eles e agradeceremos.

sobre hoje


passei o dia mal
não dormi
pressão caiu
coração acelerou
depois quase parou.
me isolava, escrevia,
olhava pras pessoas e
mesmo sem motivo, sorria.
no final da noite cansei,
sem pensar duas vezes
pedi que me levassem
até sua casa.
te vi e passei a
sorrir, agora com motivo
no final da noite
descubri que
todo meu mal
era saudade.
agora posso dormir em paz.

a cidade está contaminada


escrevi teu nome nas paredes
dos becos mais sujos.
bitucas de cigarros no chão
e ratos procurando o que comer
no lixo.
cantei versos sobre você
nos piores bares da cidade
sentada ao lado das piores e
mais sujas pessoas.
desenhei o contorno da sua boca
nos portões da prisão
desenhei o contorno dos teus olhos
nos portões do cemitério
há um pedaço seu
nos piores cantos da cidade
dos quais você nunca devia ter saído.
Os tons de voz são cores, 
palavras são formas. 
Por isso a conversa é
 a mais difícil das poesias e,
 se bem feita, é também a mais linda.
Você é aquela melodia ao fundo de um momento bom.

domingo, 31 de março de 2013

pode ir passando


você tomou conta dos meus pensamentos
peço, por obséquio - se já não for tarde-
que não tome de conta da minha vida
não por mim, sabe? mas por você.
minha vida é uma bagunça, sem pé
nem cabeça, sem coração, sem rumo
só tem cinza, fumaça, desidratação.
dentro da minha cabeça só existem
algumas teorias sobre religião, política..
mas sobre o amor, sobre dividir
ah.. me perdoe, mas eu sempre fui
deixando pra depois, sempre achei
que outras coisas eram mais importante
que o amor, hoje eu sofro,
sofro porque alerto todos que queiram entrar,
há aqueles mais atrevidos que entram sem bater,
mas acabam vendo o ócio e saem
ainda batem a porta, acredita?
e eu fico aqui do outro lado
nem me lamento porque escolhi isso pra mim
mas ter alguém aqui do outro lado dessa porta
não seria ruim.
mas, você não, não estás preparado, certo?
próximo...

sábado, 30 de março de 2013

alá Shakespeare


incrível como são triviais
as coisas que a mente humana
se apega nos momentos de mais aflição.
incrível como o ser humano é tolo
a ponte de não saber dizer não
com medo de prejudicar os outros
e acabam se prejudicando.
o er humano é muito limitado,
sua mente é cheia de
barreiras invisíveis, barreiras que
possuem dois lados que nunca
pensarão da mesma forma, dois lados
que nunca apontarão para a
mesma direção.
eternos conflitos causando os
piores desconfortos na mente
desses seres que se dizem racionais.
razão ou emoção? eis a questão.

quinta-feira, 28 de março de 2013

V


a ventania tentou vetar 
o que sentia por você
fui vetada, pela vida
a não ver o meu lado
sempre volto
por você

terça-feira, 26 de março de 2013

minutos finais


não adianta se esconder
nosso amor não passou de um jogo
não adianta mais negar
venci de virada
virei tua vida, virei tua cabeça
agora nada mais te resta
foi avisada desde o princípio
que iria acabar assim
de cabeça para baixo.
o tempo levou com ele
todo tipo de esperança e
deixou para trás
a tristeza de um olhar
sem confiança
um olhar medroso, inseguro
agora tu tenta me esquecer
e eu engasgo sempre ao te ver
engasgo com o medo
de que possa haver uma virada
nos quarenta e cinco do segundo tempo
da prorrogação
e eu digo, aguenta coração.

domingo, 24 de março de 2013


As vezes eu penso que melhorei,

às vezes eu penso que me enganei.

Às vezes eu tento cantar,

às vezes eu tento sumir.

Rimar é fácil,

difícil é dormir.

Meu reino por uma brisa tua.


Uma brisa ou uma ventania, o ar voando, dançando, correndo. Levantando poeira por todos os cantos. Onde não consegue entrar, faz vibrar e canta a música do vento. No topo das árvores, ele balança as folhas umas contra as outras e extrai da floresta o farfalhar.

Quando era criança, era fascinada pelo fogo. Na verdade, até hoje. Gosto de assistir as coisas queimarem, acender velas, derreter coisas. Gosto de ver a chama dançar.

Eu tenho um apego especial pelo vento. Deixo ele bagunçar meu cabelo com um sorriso, sinto ele me abraçar e trazer cheiros de longe, o seu, principalmente. No fundo, penso que o vento pode me trazer tudo, você, principalmente. Tudo em qualquer brisa, qualquer hora.

Qual a magia do vento?

Ele faz bater portas, janelas..  Acaricia nossa pele, arrepia, esfria, traz a chuva… Ar, doce ar! Não pare de ventar, tu trás pra mim o cheiro dela.

Insustentável é continuar cego, por não saber para qual lado olhar.

Para cada pergunta, uma resposta. Para cada resposta, um encaminhamento. É um processo interno. Criar perguntas quem detém respostas mas não pode vê-las. Eis a busca pela luminosidade - em sombria condição existencial. Isso quer dizer que, sim, somos trevas e luzes, e possuímos tudo aquilo o que precisamos dentro de nós: as dúvidas e suas resoluções.

É muito irônico pra ser real, sabe?

Meus olhos continuam sorrindo para o desconhecido, esperando que assim não sejam consumidos pelas sombras que este traz. Mas nada passa de uma grande ilusão. Às vezes eu acho que estou caindo, flutuando em direção ao chão de alguma existência que se finda onde se principia a dor. É muito irônico para ser real, sabe?  Pedaços de sonhos fragmentados no chão. E ainda há você com esse sorriso lindo, em qualquer lugar do mundo, dizendo-me para não lhe esquecer. O que eu posso fazer? É você quem manda. E eu… Eu continuo aqui, dormindo acordada e brincando de não sofrer.

Cerveja, ratos e seu cheiro.


Só vou me preocupar quando começar a sentir o cheiro do teu perfume em um dos becos mais sujos da cidade, bêbada e fumando. 

Se não estou morta, me mato aos poucos querendo matar o que tem dentro de mim.

Partida.


vou indo
sem saber
pra onde
por que
pra quem
vou levando
uns sonhos
água
e o telefone
vou deixando
outros sonhos
esperança e
você.

E na volta para a casa.



Tirei o tênis às cinco da manhã
Coloquei meus pés na janela e
Fiquei sentindo o vento se entrelaçar
Nos meus dedos.
ps: Ainda estava com seu cheiro. 

sexta-feira, 22 de março de 2013

Renda-se

Teus olhos dizem que não.
Já teus músculos, se contraem
Provando como seus olhos
Mentem e mentem a cada piscada.
Tua boca chama outro nome,
Já teu corpo me chama.
Tudo me leva a ti.
Meus olhos não mentem.
Minha boca canta uma ópera
Com o teu nome.
Meu corpo ao dançar
Desenha no ar
As iniciais do teu nome.
Amo, não nego.

À Lara.

A palpitação vaginar
Da moça não nega.
Os lábios carnudos
Desenham, junto com
Sua língua, estrelas
No meu corpo.
Seu toque massageia
Meu ego, não preciso falar
Meu corpo fala por mim.
Meus olhos te devoram e,
Meu corpo entrega-se a ti.
Sem pudor, sem medo e,
Sem receio.

Dadaísta.

Deito na minha cama,
Quase meia noite,
Quase meia pessoa.
Metade da minha noite
Foi pensando em ti.
Metade da minha pessoa,
É você.
Sol, Lua, Estrelas.
Sua voz, seu sorriso, seu toque.
Fundamentais para o universo.
Fundamentais para mim.


Explicação.

Sei que não devo nenhuma.

Criei esse blog com o objetivo de divulgar (o que é um enorme avanço para mim, pois sempre fui muito tímida e recatada com meus escritos) meus projetos.
Poemas, desenhos, músicas.
Não estou só nessa.
Conto com a ajuda de dois amigos e de um primo.
Sem eles não conseguiria fazer isso.

Espero que se permitam ao entrar e ao ler esse blog.

Obrigada.