terça-feira, 30 de abril de 2013

hei de te (me) encontrar

estou perdida em um local onde só vejo pessoas com o ego no céu e suas palavras que liberam hipocrisia por todo lado, sei que não vou te encontrar lá, corro na direção da praia, talvez esteja lá. deus me disse uma vez, quando estava a navegar atrás de ti para eu respeitar o tempo, mas meu coração só palpita rápido, ele diz meu tempo, fico a imaginar aquela sensação de bem estar que sentirei ao te abraçar. partículas coloridas de paixão irão bailar no ar. e assim me encontrarei.

é esse que tem pouca nota


dizem por aí que tô espalhando poesia pelos cantos,
que quando eu chego o ambiente fica poetizado, ah moça
isso é porque ainda não te viram passar com esse gingado
de ciranda, nunca viram o movimento desse teu cabelo marrom
no ar, nunca viram teu sorriso iluminando misteriosamente a vida.
a natureza é uma coisa linda, sabe? mas, nada comparado a ti
é mais belo.   você tem mistério de cinema
                    gargalhada de criança
                    o corpo que se encaixa no meu
atravessaria qualquer oceano pra olhar teus olhos de perto,
pra sentir teus dedos no meu cabelo quando eu tiver quase dormindo,
pra te ouvir cantar, nem que seja aquele axé que eu odeio.
                   ultimamente tô que nem a mallu:
                   com vontade de ficar com você
                   grudar em você
                   de me bordar em você
                   tô querendo virar tua pele
                   fazer uma capa
                   tirar tua roupa
         e seguir contigo num sambinha bom.

segunda-feira, 22 de abril de 2013

planos para o futuro: sambar junto a ti


vem, vem devagar no ritmo do nosso samba favorito
vem sambando e sorrindo, moço bonito
balançando esses teus cabelos
e deixando teu cheiro por onde passa
fazendo graça e deixando todas as moças de queixo caído
me puxe pela cintura e me faça querer sambar junto a ti
já coloquei minha saia, já soltei meu cabelo, já ensaiei
de frente ao espelho, agora vem me fazendo esquecer todas
as coisas ruins dessa vida e colorindo meu dia a dia com
teu samba, teu axé, tua capoeira..
só você pode transformar meus problemas em samba
e quero resolve-los todos à sua maneira
não entrego-me a ti só no samba de roda, mas
no samba da vida.

quarta-feira, 17 de abril de 2013

jogo sem lógica


não sei mais andar sem pensar.
monto monólogos em minha cabeça com palavras tortas.
quando era mais nova, via pessoas falando sozinhas nas ruas,
achava que era loucura, agora eu quem ando pra cima e pra baixo
falando sozinha, quase gritando, é bem mais grave do que loucura.
to perdendo a habilidade de ser invisível, as pessoas me olham
e sinto que elas tentam me desvendar, isso me perturba, me sufoca,
por que? por quê? porque.
vejo poesia em tudo desde que vi teus olhos perto dos meus,
nem os tijolos daquele prédio em construção perto da minha universidade
são mais os mesmos.
a fumaça que solto depois de fumar, agora formam no ar partes do teu corpo,
teu sorriso, teu nariz, tuas mãos, teus ombros, teus olhos...
se me ver fumando, talvez esteja te procurando, talvez esteja tentando matar a saudade,
talvez seja só uma desculpa pra me matar, pois você não está por perto.
corrosão do coração (e do pulmão).
não queria voltar a andar sem pensar, me sinto melhor assim.
mas, parar de fumar e te ter por perto, seria uma boa.

sábado, 13 de abril de 2013

"é o fim do mundo todo dia da semana"


realmente o mundo
acaba todo dia
de um jeito diferente
o meu hoje acabou
do seu jeito
com o seu olhar
e com o seu cheiro
pude sentir, ver,
ouvir
não quis evitar.
talvez precisasse mesmo
de um fim do mundo.
amanhã outro começa
amanhã o mesmo termina
espero que com seu cheiro
novamente.

quinta-feira, 11 de abril de 2013

calma, menino


possuo um auto conhecimento
flagelado.
saio da cama da paloma e
não sei pra onde ir,
porque na verdade
não queria sair de lá,
nunca quis.
chá era nossa válvula de escape
e seus olhos também, era
difícil distinguir o que
brilhava mais, se eram seus olhos
ou seus cabelos.
nicolelis me alertou:
se machuca-la, vou atrás de você.
jurou-me nunca te abandonar.
segundo ele, te via em todos os lugares
terminal da lagoa, na saída do metrô
na paulista, nos espaços que sobram
entre os tijolos daquela construção da esquina.
antes de espera-lo terminar, o interrompi:
calma, rapaz, calma que a alma daquela ruiva
de alguma forma, pertence a ti.

amante


uma nuvem me presenteia
com as gotas que ela solta
estou tão carregada quanto ela
as gotas, certas vezes
trazem teu cheiro
por isso gosto de
tomar banho de chuva
me misturo com as gotas
e assim sinto você
ah.. quem me dera se
fosse verdade, mas
na verdade
nada passa de uma ilusão.
espero sem querer,
espero porque quero te ter.
partes, se partem e
levam consigo toda
e qualquer paciência
que - ainda - tenho.
uma doce brisa se enrrola
nos meus cabelos
e olha que sorte.
você está nela.

quarta-feira, 10 de abril de 2013

tudo culpa dela (intensidade)


mergulhar no mar castanho
dos teus olhos
e parar de nadar
jogar-me no vão escuro
das tuas palavras
e parar de procurar luz
me perder nas covas
do teu corpo
e não procurar uma saída


não busco dor,
mas não a evito
é tipo um mal
necessário.


não evito me permitir
por isso sofro
por isso sou intensa
desde pequena
sempre chovara demais
ria demais, brincava demais,
estragava as brincadeiras demais.
sempre demais, demais.
por isso sofro.


não busco você,
mas não te evito
é tipo um mal
necessário.


não sigo uma direção só
saí da aula de japonês,
estou na de francês
e com o material de
catalão dentro da bolsa.


não quero me policiar,
mas não evito
é tipo um mal
necessário.


vivo procurando um motivo
para deixar essa minha fuga de lado
vivo procurando abrigo
cansei de ser nômade nos pensamentos das pessoas
quero parar em um,
de preferência no seu.


não precisa ser agora
mas não evite
é tipo um mal
necessário.

um dia da caça, outro da caçadora


sonhos vem e vão
nunca param
podem ir juntos com
palavras
podem ir juntos com
bombas.
explosões de sonhos
pedidos
c
  a
    e
      m

somem e viram
p
  o
    e
      i
        r
          a

donas de casa limpam
todos os dias sonhos:
ser astronauta,
escrever um livro,
amar infinitamente..
tudo vai para debaixo
do tapete.
tudo para o lixo.
lixo do arrependimento.



ass: caçadora de sonhos
perdidos do lixão
da vida.

carta, leia até o final


ME OLHA!!!

tento vir todos os dias,
tento sentir teu cheiro
pelos cantos da minha
vida. (SEM SENTIDO)

VENHA!!!

venha em um vento
que bate no meu rosto
na praia, na sala,
nas orgias, nos bares.

ME PERDOE!!!

me perdoe pelos cantos
onde vou buscar seu cheiro.

LEMBRE-SE!!!

não vou desistir.
nem da busca pelo
seu cheiro, nem
de você.








ESQUEÇA (OU TENTE)

tudo que escrevi,
tudo que pensou.
agora vou fumar.

segunda-feira, 8 de abril de 2013

todo amor que houver nessa vida, cazuza, eu e você


todo amor que houver nessa vida
e algum remédio que me dê alegria
porém, tendo em vista que
serei teu pão, tua comida
não precisarei de nada mais
para me dá alegria
ser algo bom para você
já é mais do que suficiente
para me arrancar mil sorrisos
durante o dia
e ser artista no nosso convívio
pelo inferno e céu de todo dia
te olhar passar e sorrir
independente de como esteja meu dia
eu tenho a sorte de está tendo
um amor tranquilo, com sabor
de fruta mordida, nós na batida,
no embalo da rede, matando a sede
na saliva, enchendo o peito com
amor, com todo amor que houver nessa vida
e algum veneno antimonotonia.
nós somos nosso veneno antimonotonia
antiraiva, antistress, antinãoamor.
e a poesia que a gente não vive..
ah, essa não existe
transformo o tédio em melodia
graças a ti, graças a busca incessante
pela tua fonte escondida
no dia que eu acha-la, te alcanço
em cheio, o mel e a ferida
e o corpo inteiro como um furacão
boca, nuca, mão e tua mente não
ser teu pão, ser tua comida
todo amor que houve nessa vida

domingo, 7 de abril de 2013

pura, limpa, nossa


eu quero é felicidade,
mas tem que ser uma
felicidade pura, limpa
aquela felicidade que
você vê nos olhos de
uma criança ao ver a mãe
aquela felicidade do
casal apaixonado caminhando
na praia no final da tarde
de mãos dadas, quero a
felicidade de um estudante
aprovado no vestibular
a de uma mãe ao ver seu
filho pela primeira vez
quero a felicidade de um fã
ao ver seu ídolo pessoalmente
pela primeira vez, quero
aquela felicidade retratada
nos filmes de romance
que sempre tem um final feliz.
pode ser uma felicidade clichê
às vezes, são as melhores,
não ligo
eu quero é felicidade,
mas tem que ser uma
felicidade nossa.

sábado, 6 de abril de 2013

Você é inspiração pra dez vidas ou mais.

é morena...


me perco nos teus beijos
me encontro nos teus abraços
vejo sombras de um futuro próximo
se formando em nossa direção
incertezas e vontades se misturam
com paixão e carinho deixando
tudo assim, do jeito que está
vamos indo, como diz aquele
velho ditado popular
devagar e sempre.
que seja assim, Sol
devagar e sempre.

quinta-feira, 4 de abril de 2013

com palavras de maria

fico pensando no que fazer
com toda essa sua ausência em meu ser
quero sempre mais
quero sempre você
a felicidade que sinto ao te ver
se compara a de uma mulher esperando 
sua mulher na beira do cais
que olha no meio da espera
para o céu e ele me demonstra
com muita transparência
que o que ela mais precisa
é de um pouco mais de paciência 

segunda-feira, 1 de abril de 2013

maria


vou pedir pra lua te abraçar
para cada estrela te beijar
para cada cometa dançar ao teu redor
nunca deixando você entristecer.
se - ainda - não posso fazer
todas essas coisas
vou pedir aos meus astros que façam
e no dia que estivermos juntas,
juntas olharemos para eles e agradeceremos.

sobre hoje


passei o dia mal
não dormi
pressão caiu
coração acelerou
depois quase parou.
me isolava, escrevia,
olhava pras pessoas e
mesmo sem motivo, sorria.
no final da noite cansei,
sem pensar duas vezes
pedi que me levassem
até sua casa.
te vi e passei a
sorrir, agora com motivo
no final da noite
descubri que
todo meu mal
era saudade.
agora posso dormir em paz.

a cidade está contaminada


escrevi teu nome nas paredes
dos becos mais sujos.
bitucas de cigarros no chão
e ratos procurando o que comer
no lixo.
cantei versos sobre você
nos piores bares da cidade
sentada ao lado das piores e
mais sujas pessoas.
desenhei o contorno da sua boca
nos portões da prisão
desenhei o contorno dos teus olhos
nos portões do cemitério
há um pedaço seu
nos piores cantos da cidade
dos quais você nunca devia ter saído.
Os tons de voz são cores, 
palavras são formas. 
Por isso a conversa é
 a mais difícil das poesias e,
 se bem feita, é também a mais linda.
Você é aquela melodia ao fundo de um momento bom.